Futuro da “supply chain”

Camada de consolidação

As “supply chains” são mais do que apenas um relacionamento “individualizado” entre um comprador e um fornecedor. Esse relacionamento também conta com serviços externos, como garantia de qualidade, certificações, transporte e logística, seguros e muitos outros. Esses serviços de terceiros não fazem parte diretamente da criação de valor do produto, mas, mesmo assim, em muitos casos, são obrigatórios para fazer o processo comercial fluir. Compradores, fornecedores e prestadores de serviço terceirizados fazem parte do ecossistema de “supply chain” e a capacidade de colaboração deles é fundamental.

A camada de consolidação na Tradeshift é o facilitador de serviços técnicos e pré-requisito para colaboração e compartilhamento de dados entre titulares de contas na plataforma Tradeshift. Ela também cria a capacidade de terceiros, que não estão na plataforma, colaborarem com seus pares em seu ecossistema de “supply chain”. Como parte de nossa Tradeshift Pulse Vision, a camada de consolidação é um dos pilares de como vislumbramos a evolução das “supply chains”.

Projetada para atender às necessidades de futuras “supply chains”, a camada de consolidação torna possível compartilhar dados em quatro categorias importantes: transparência, pegada, integridade e rastreabilidade. Essas quatro categorias são a base de um dos subconjuntos mais interessantes do futuro da “supply chain”: a sustentabilidade.

Base da sustentabilidade

transparency

Transparência

Transparência se refere ao conhecimento sobre os participantes da “supply chain” e seu papel ativo na cadeia de valor. Um começo básico é conhecer os metadados dos fornecedores na “supply chain”. Outro elemento básico de transparência é o tipo de impacto que eles criam. Depois de conhecermos os atores, a próxima camada de dados que descreve seu comportamento pode ser aplicada. Além disso, fornecer financiamento e pagamentos antecipados a fornecedores exige um conhecimento profundo dos fornecedores – daí a necessidade de transparência.

footprint

Pegada

Pegada da “supply chain” se refere à pegada ambiental que as empresas deixam para trás. Uma pegada típica são as emissões de gases de efeito estufa; outros exemplos incluem riscos ambientais, como o desmatamento. No relatório ESG (sigla em inglês para ambiental, social e de governança), essa métrica fornece informações sobre a parte “E”, ou “ambiental”, da métrica ESG maior.

As emissões de escopo 3 podem ser calculadas com base nas faturas e pedidos de compra de qualquer relacionamento comercial. Escolha configurar faturas, manter declarações de emissões e criar visibilidade sobre como os impactos ambientais na sua “supply chain” atuam por fornecedor e por fatura. Esse tipo de dados pode abrir caminho para o acesso ao financiamento verde.

integrity

Integridade

A integridade da “supply chain” envolve obter insights sobre o comportamento do fornecedor – principalmente trabalho forçado ou infantil. É uma parte essencial do “S” e do “G” na métrica ESG, fornecendo informações sobre o desempenho social e de governança da empresa.

Por ser uma métrica mais flexível e geralmente escondida dos compradores, pode ser difícil mensurá-la diretamente. No entanto, por meio da plataforma, podemos fornecer à sua empresa orientações sobre onde e quando redobrar a atenção e aplicar “due diligence” (diligência devida).

traceability

Rastreabilidade

Abrange a capacidade de exibir dados para rastreamento e monitoramento de produtos, tanto a montante, em direção ao fabricante, quanto a jusante, em direção ao usuário final. Os dados de rastreabilidade são um pré-requisito fundamental ao fornecer informações sobre a proveniência ou autenticidade do produto – a capacidade de rastrear produtos no sentido inverso, do consumidor ao produtor, e de acessar dados de transparência registrados e dados de eventos, quando necessário, é fundamental ao fornecer insights para provar que o produto é seguro.

Envie-nos um e-mail se quiser saber mais

Seja nosso parceiro